TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
A vida de Elza Soares é enredo na Mocidade Independente de Padre Miguel - Editoriais - Band News FM

Escolas de Samba

Texto:
+
-

A vida de Elza Soares é enredo na Mocidade Independente de Padre Miguel

A escola da Zona Oeste vai apresentar as lutas defendidas pela cantora nesses quase 90 anos de vida

Por Daniella Dias, às 19:47 - 14/02/2020 | Atualizado às 16:04 - 17/02/2020

00:00 / 00:00

A porta-estandarte das minorias abraça os menos desejados, em especial, a mulher negra (Foto: Divulgação/Riotur)

Mulher. Pobre. Negra. De que planeta você veio, minha filha?" - Perguntou Ary Barroso, autor de Aquarela do Brasil em seu programa de calouros. Gargalhadas. As mesmas gargalhadas não intimidaram a resposta daquela que pisava pela primeira vez em um palco, que posteriormente, se tornaria sua morada.

E é com um nome de peso que a Mocidade Independente de Padre Miguel vai levar para a Avenida o enredo "Elza Deusa Soares". Além da história de quem já foi considerada a cantora brasileira do milênio pela BBC de Londres, a verde e branco vai apresentar as lutas defendidas por Elza nesses quase 90 anos de vida.

O desfile retrata a era de ouro do rádio, nos anos 50, onde a menina da lata d'água na cabeça foi descoberta como uma estrela da música. Na Apoteose, Elza derruba o patriarcado e com a força do cantar aponta o dedo para a grande pátria nada gentil que sempre lhe virou as costas por meio do racismo, machismo e misoginia.

A deusa da Vila Vintém, na Zona Oeste do Rio reacende a chama da Mocidade tão independente quanto ela. Elza é capaz de desafiar, respeitar, desatar e transformar. O desfile vai retratar, ainda, os amores além dos altos e baixos da vida e carreira da cantora. Emocionada, o rosto que em 2020 vai representar a estrela símbolo da Unidos de Padre Miguel ressalta que falar da vida dela, é falar de cultura.

Mulher e negra, Millena Wainner é uma das intérpretes da escola de Padre Miguel que vê a própria história desenhada no enredo da verde e branco.

A porta-estandarte das minorias abraça os menos desejados, em especial, a mulher negra da sociedade brasileira. E essa figura, que além de Elza, vai ter protagonismo no desfile, como explica o carnavalesco Jack Vasconcellos. A Mocidade resgata a cria de Padre Miguel e enche de alegria uma comunidade que esperou anos para revê-la. Em 2020, a Independente de Padre Miguel vai ocupar todos os cantos da avenida com um recado: "Deus é mesmo mulher. Deus é negra. Ouçam a sua palavra que nos invade. Salve a Mulher do Fim do Mundo. Salve Elza Deusa Soares".

Ouça a reportagem completa clicando no player de áudio.

NEWSLETTER
OU