TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Ruim
Avião Bom
Após anúncio da queda do ICMS sobre o querosene da aviação, redução de passagens é incerta - Editoriais - Band News FM

Economia

Texto:
+
-

Após anúncio da queda do ICMS sobre o querosene da aviação, redução de passagens é incerta

O imposto sobre o combustível no Rio caiu de 12% para 7%

Por Tatiana Campbell, às 18:07 - 11/07/2019 | Atualizado às 19:07 - 11/07/2019

00:00 / 00:00

Apesar do Conselho Nacional de Fazenda autorizar o Estado do Rio de Janeiro a reduzir, de 12% para 7%, o ICMS sobre o querosene da aviação, especialistas e o sindicato da área não acreditam que isto trará mudanças significativas.

Após a paralisação da Avianca e consequentemente com o aumento do valor da passagem aérea, o objetivo deste reajuste é ter um efeito positivo sobre o número de voos partindo ou chegando no estado, que perdeu 15% do total de passageiros entre 2014 e 2018.

No entanto, para o professor de transporte aéreo da Universidade de São Paulo, Jorge Leal, a situação não é bem assim. Para a diretora executiva do Sindicato Nacional dos Aeroviários a queda do imposto não afeta positivamente a categoria. Ainda segundo Selma Balbino o preço das passagens aéreas não irá diminuir totalmente:

Quem trabalha na área segue enfrentando dificuldades. É o caso da agente de viagens Fátima Reis. Ela conta que deixou de vender diversos pacotes e que o valor dos bilhetes segue assustando.

Em nota, a Agência Nacional de Aviação Civil informou não é possível afirmar que haverá a queda do preço das passagens áreas já que a queda do ICMS sobre o querosene é apenas um dos fatores que influenciam nas mudanças do valor.

Sem a operação da Avianca o preço das passagens aumentou. Com o leilão de slots para operar em aeroportos arrematados pela Gol e Latam, nesta quarta-feira (10), ainda há preocupação com a continuidade do duopólio das companhias.

Com a venda dos ativos, a Avianca levantou mais de US$ 147 milhões, o equivalente a R$ 555 milhões e 300 mil. A empresa está em recuperação judicial desde dezembro do ano passado. As dívidas estão estimadas em cerca de R$ 3 bilhões.

Ouça a reportagem completa clicando no player de áudio.

NEWSLETTER
OU