TRANSPORTE
NO RIO

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Ruim
Avião Bom
CPI apura irregularidades no Zoológico do Rio - Editoriais - Band News FM

Cidade

Texto:
+
-

CPI apura irregularidades no Zoológico do Rio

No total, 219 animais morreram no espaço

Por Yan Miranda, às 20:02 - 02/12/2019 | Atualizado às 20:19 - 02/12/2019

Desde o início das obras 186 foram transferidos e 4 reintroduzidos (Foto: Redes sociais)

Uma Comissão Parlamentar de Inquérito vai ser solicitada, na Câmara do Rio, nesta terça-feira, para investigar as operações da concessionária do Jardim Zoológico do Rio, na Quinta da Boa Vista.

Desde 2016, quando a administração foi repassada ao Grupo Cataratas, o local está em obras, para a construção de um bioparque.

Segundo o vereador Dr. Marcos Paulo, do Pso, desde o começo das obras, pelo menos 219 animais morreram, 186 foram transferidos e 4 reintroduzidos. 18 aves de pequeno porte teriam sido furtadas.

Ainda de acordo com o vereador, diversas denúncias relatam maus tratos aos animais, que permanecem na unidade enquanto as construções são feitas.

O Grupo Cataratas informou que as obras não colocam em risco a vida dos animais e que a permanência deles no parque foi debatida e avaliada equipe uma técnica de especialistas.

A administração também informou que, antes da concessão, a média de mortes era de 97 animais por ano e depois da concessão passou a ser de 77 animais por ano, mesmo com as obras.

CONFIRA A NOTA NA ÍNTEGRA

O Zoológico do Rio esclarece que as obras que tiveram início em dezembro de 2018 não colocam em risco à vida dos animais que vivem no RioZoo. O manejo e a permanência deles no parque foram debatidos e avaliados exaustivamente antes do início das intervenções por equipe técnica de especialistas, formada por representantes do IBAMA, INEA, Fundação RioZoo e Associação de Zoológicos e Aquários do Brasil (AZAB). O resultado dos debates e avaliações técnicas gerou os Planos de Manejo que são atualizados e reavaliados anualmente.
 
Antes da concessão do zoo, a média de óbitos era de 97 animais/ano e depois da concessão passou a ser de 77 animais/ano, mesmo com as obras. O monitoramento dos animais é realizado diariamente, por meio de monitores de qualidade ambiental, além de estudos comportamentais e hormonais, que têm mostrado que as condições do ambiente estão dentro de um padrão de normalidade.
 
Também cabe ressaltar que o bem-estar animal sempre foi priorizado e o nascimento de espécies ameaçadas como ararajuba, jacutinga e arara-azul-grande são prova disto. Os novos recintos que estão sendo construídos trarão melhor qualidade de vida e bem-estar para os animais.
 
O plantel atual do RioZoo vem se adequando ao Plano de População desenvolvido pela instituição, com o objetivo de cuidar e pesquisar espécies importantes para a conservação e restauração da biodiversidade.
 
Já a respeito do fechamento temporário também cabe esclarecer que este se deve à finalização da primeira etapa das obras, que teve início há cerca de um ano. A medida tem por objetivo garantir a segurança dos visitantes, já que as intervenções chegaram a espaços que eram destinados ao trânsito do público.
 
A interrupção da visitação é necessária para que, no primeiro trimestre de 2020, a população carioca ganhe um novo parque, com foco em educação, pesquisa e conservação. Conceito alinhado com as melhores práticas mundiais, que tem como principal pilar o bem-estar animal".

*Estagiário sob supervisão de Amanda Martins

NEWSLETTER
OU