TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Espaço que recebeu hospital de campanha no Maracanã tem cenário de abandono - Editoriais - Band News FM

Cidade

Texto:
+
-

Espaço que recebeu hospital de campanha no Maracanã tem cenário de abandono

No local, é possível encontrar lixo, restos de divisórias, fios, tubos de ar-condicionado e pedaços de lona rasgada

Por Andrezza Buzzani, às 16:02 - 26/01/2021

00:00 / 00:00

A unidade foi uma das sete prometidas pelo Governo do Estado para o enfrentamento da pandemia (Foto: Andrezza Buzzani/BandNews FM)

Montes de lixo, restos de divisórias, fios, tubos de ar-condicionado, mato alto e pedaços de lona rasgada. Esse é o cenário de abandono do espaço que recebeu o Hospital de Campanha do Maracanã, na Zona Norte do Rio.

Entre as sete unidades prometidas pelo Governo do Estado para o enfrentamento da pandemia da Covid-19, a do Maracanã foi uma das duas que chegaram a ser inauguradas. Na época em que esteve em uso, o custo de manutenção mensal era de cerca de R$ 10 milhões.

Além da sujeira, os entulhos expostos a céu aberto também preocupam os moradores do bairro com relação à proliferação de insetos e focos de mosquito da dengue.

vlcsnap-error221 vlcsnap-error353

A área é um dos principais pontos para a prática de exercícios físicos do bairro. O representante comercial Júlio Vaz, que caminha todos os dias no entorno do estádio, lamenta a degradação.

O hospital, inaugurado em maio, ficou sem receber pacientes desde julho do ano passado, mas apenas em outubro ele pode ser desmobilizado com a autorização da Justiça. Durante o desmonte, foram encontrados aparelhos novos e ainda embalados.

A situação também incomoda a cabeleireira Maria Luscelen de Oliveira, que lamenta o fechamento da unidade.

vlcsnap-error405 vlcsnap-error701

O hospital de campanha também foi alvo de denúncias sobre falta de insumos e atrasos no pagamento dos profissionais. Na época, o motivo para o fechamento seria o encerramento do contrato com a OS Iabas, firmado no valor de R$ 835 milhões, dos quais R$ 256 milhões foram pagos.

Procurada, a Secretaria de Estado de Saúde não respondeu sobre a limpeza do espaço até o fechamento desta reportagem.

Ouça a reportagem completa clicando no player de áudio.

NEWSLETTER
OU