TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Estudo de ONG alerta sobre aglomerações em casas de comunidades do Rio - Editoriais - Band News FM

Coronavírus

Texto:
+
-

Estudo de ONG alerta sobre aglomerações em casas de comunidades do Rio

Mais de um milhão de moradores precisam dividir um quarto com outras três pessoas na Região Metropolitana fluminense

Por Marcus Sadok, às 13:16 - 26/03/2020 | Atualizado às 16:17 - 26/03/2020

Favela da Rocinha, na Zona Sul do Rio de Janeiro (Foto: Agência Brasil)

Mais de um milhão de pessoas tem que dividir um único quarto com outras três pessoas em comunidades da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Um estudo publicado pela ONG Casa Fluminense, com base em dados do IBGE identificou 350 mil casas com essa realidade, em meio a pandemia do Coronavírus e determinação de isolamento social.

O município de Japeri, na Baixada Fluminense, que tem um dos piores Índices de Desenvolvimento Humano do Estado, tem 14% de residências nessa situação. Na capital fluminense, a situação mais complicada fica na comunidade do Jacarezinho. Quase 16% das casas da região tem um quarto ocupado por mais de três pessoas.

Em outras comunidades a situação é parecida. Na Maré, 11% das moradias registra esse perfil, mesmo índice da Rocinha e Cidade de Deus.

O coordenador do estudo, Vitor Mihessen explica entre as alternativas que as autoridades podem adotar para minimizar a proliferação da Covid-19, em comunidades carentes, está auxílio financeiro e deslocamento dessas pessoas para locais seguros.

O bombeiro civil André Luis percorre a comunidade Camarista Méier, no Engenho de Dentro para fazer alertar as pessoas sobre a necessidade do distanciamento durante a quarentena.

O Rio de Janeiro é a segunda entre todos os estados com maior número de pessoas dividindo um mesmo quarto em comunidades, no ranking nacional, atrás apenas do estado de São Paulo, que tem mais de 800 mil casas nesta situação.

A-GRAFICO-SADOK
NEWSLETTER
OU