TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Família aguarda 27 horas para corpo de idoso ser removido de casa - Editoriais - Band News FM

Coronavírus

Texto:
+
-

Família aguarda 27 horas para corpo de idoso ser removido de casa

Adilson Carlos dos Santos, de 71 anos, era morador de Manguinhos

Por Gustavo Sleman, às 16:51 - 23/05/2020 | Atualizado às 17:10 - 23/05/2020

00:00 / 00:00

A angústia da família foi mostrada em vídeos na internet (Foto: Reprodução)

Vinte e sete horas. Esse foi o tempo que a família de Adilson Carlos dos Santos, de 71 anos, aguardou para que o corpo do idoso fosse removido da própria casa em Manguinhos, Zona Norte do Rio, onde ele morreu na sexta-feira (22).

A morte foi confirmada por agentes do serviço do SAMU, após o acionamento de duas ambulâncias. Neste caso, a Defesa Civil não faz a remoção, já que o óbito foi provocado por causa natural. No entanto, os familiares questionam a falta de orientação. A Prefeitura foi procurada para solicitar um sepultamento gratuito. 

Os parentes contaram com o apoio do articulador social João Luís Silva, membro da ONG Rio de Paz. Segundo ele, Adilson apresentava sintomas de covid-19 e por conta disso, funcionários do Cemitério de Inhaúma teriam dito que o idoso seria ''jogado em um contêiner''. 

Entre o contato com a funerária responsável pela administração do Cemitério de Inhaúma e o enterro de seu Adilson, neste sábado (22), familiares enfrentaram um dia inteiro de angústia e espera, como conta João Luís.

A reportagem da BandNews FM procurou a Rio Pax e a Concessionária Rio Pax, no entanto, os questionamentos não foram respondidos.

A Secretaria de Estado de Saúde, responsável pela operação do SAMU durante a pandemia, informou que agentes, em casos de mortes por causas naturais, apenas emitem o laudo do óbito. Já a Prefeitura especificou quais os procedimentos que devem ser feitos para  solicitar a gratuidade do sepultamento:

"Se a família não tem condições financeiras nenhuma para arcar com o enterro, basta entrar em contato com uma das duas Concessionárias (Reviver no Caju ou Riopax em Inhaúma) para solicitar a gratuidade.

Para isso, há que se comprovar a hipossuficiência (incapacidade financeira da família para arcar com o sepultamento).

Para isso, basta levar o atestado se óbito, além dos documentos do falecido e também do familiar (identidade, CPF, carteira de trabalho - se tiverem) para a comprovação da hipossuficiência. "

NEWSLETTER
OU