TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Familiares do professor de artes marciais morto no Alemão cobram respostas do Estado - Editoriais - Band News FM

Polícia

Texto:
+
-

Familiares do professor de artes marciais morto no Alemão cobram respostas do Estado

Jean Rodrigo da Silva vai ser enterrado nesta quinta-feira (16), no Cemitério de Inhaúma

Por Daniella Dias, às 15/05/2019 - 13:58

00:00 / 00:00

O irmão da vítima atribuiu a morte ao despreparo da PM (Foto: Reprodução)

A família do lutador de jiu-jitsu morto a tiros no Complexo do Alemão cobra explicações ao Governo do Estado sobre a ação da Polícia Militar dentro de favelas. Jean Rodrigo da Silva Aldrovande estava dentro do carro e foi baleado quando chegava para dar aula em um projeto social na comunidade da Zona Norte.

Ainda não há informações sobre o velório e o enterro do professor de artes marciais. A família esteve no IML na manhã desta quarta-feira (15), para reconhecer a vítima e disse que no momento em que Jean foi atingido na cabeça, não havia confronto durante a operação policial no Alemão.

O irmão, Diego da Silva, atribuiu a morte ao despreparo da PM. Jean dava aulas na Escola Maneco Team, que conquistou em março quatro ouros, uma prata e dois bronzes no Troféu Brasil de Jiu-jitsu de 2019. Os prêmios foram da categoria juvenil.

Após a morte, moradores do Complexo do Alemão realizaram um protesto que interditou na noite de terça-feira (14), a Estrada Adhemar Bebiano, um dos acessos da comunidade.

Objetos chegaram a ser incendiados na via. Indignada, a mãe de Jean, Sandra Mara, questionou o governador pela a ação da Polícia logo após a morte do filho. De acordo com os moradores, uma outra vítima, identificada, apenas como Thiago, foi atingida na perna, durante a troca de tiros. Não há detalhes para qual hospital a vítima foi encaminhada.

Procurada, a Polícia Militar informou que as equipes da UPP foram acionadas para verificar uma ação que terminou com duas pessoas atingidas por disparos. PMs de outras unidades vão ser ouvidos e a corporação abriu um processo para análise do caso. A Divisão de Homicídios também investiga as circunstâncias da morte de Jean Rodrigo da Silva.

NEWSLETTER
OU