TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Funcionários suspeitos de articular a imunização dos próprios filhos contra a Covid-19 em hospital de Niterói são afastados - Editoriais - Band News FM

Polícia

Texto:
+
-

Funcionários suspeitos de articular a imunização dos próprios filhos contra a Covid-19 em hospital de Niterói são afastados

Os administradores do Hospital Estadual Azevedo Lima serão ouvidos pela Polícia Civil

Por Clara Nery, às 17:42 - 22/02/2021

00:00 / 00:00

A Secretaria Estadual de Saúde informou que colabora com as investigações (Foto: Clara Nery)

A Polícia Civil vai ouvir nos próximos dias os administradores do Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. Os funcionários, suspeitos de articular a imunização dos próprios filhos contra a Covid-19, foram afastados dos cargos.

Os agentes realizaram buscas, nesta segunda-feira (22), na casa do diretor técnico e da coordenadora de desospitalização da Organização Social Instituto Sócrates Guanaes, que administra a unidade de saúde. Adriana Morais e Rogério Casemiro são responsáveis pelas planilhas de vacinação.

A denúncia, apresentada pelo Conselho Regional de Enfermagem, diz que os dois jovens, de 16 e 20 anos, são filhos da coordenadora e enteados do diretor. Ainda de acordo com o Coren, os dois teriam sido vacinados sem fazer parte de grupos prioritários para a imunização.

Segundo o delegado Thales Nogueira, que está à frente do caso, os agentes encontraram na casa dos jovens os cartões de vacinação, uma prova de que eles tomaram a primeira dose do imunizante.

Durante as buscas no hospital, os policiais recolheram planilhas de pessoas vacinadas na unidade. Em uma avaliação feita pela delegacia durante o fim de semana foram constatadas rasuras nas listagens, o que provocou a suspeita nos investigadores. Os nomes dos jovens na listagem estavam com indicações de que um era estagiário de medicina e o outro acadêmico de medicina, sendo que os dois sequer fazem essa faculdade.

A partir desta terça-feira (23), a delegacia começa a ouvir a mãe dos jovens e funcionários da unidade de saúde. A Secretaria Estadual de Saúde informou que colabora com as investigações, e que o diretor técnico, além da coordenadora de desospitalização, já foram afastados de suas atividades.

Em nota, a Organização Social acrescentou que foi surpreendida pelas denúncias referentes ao Hospital Estadual Azevedo Lima relativas à iniciativa isolada de um dos diretores da unidade.

Ouça a reportagem completa clicando no player de áudio.

NEWSLETTER
OU