Guarda Municipal é flagrado agredindo idoso que cai desacordado - Editoriais - Band News FM
Plantão

Polícia

Texto:
+
-

Guarda Municipal é flagrado agredindo idoso que cai desacordado

O agressor pode ser exonerado

00:00 / 00:00

O idoso cai desacordado após a agressão (Foto: Reprodução)

Vai responder criminalmente por abuso de autoridade e agressão corporal, o guarda municipal Nilson das Neves, que agrediu com um soco no rosto um idoso de 72 anos em frente a uma Unidade de Pronto Atendimento em Tanguá, na Região Metropolitana do Rio. O vídeo abaixo mostra o momento em que o cozinheiro aposentado Manuel Leite de Jesus, de 72 anos, é agredido e cai desacordado na calçada. 

Um outro guarda municipal, identificado como Douglas de Carvalho Marins, também está na cena. Nas imagens, é possível ver que ele não faz nada para impedir que Nilson das Neves bata no idoso. Ninguém presta atendimento: nem os dois guardas, nem mesmo as pessoas que estavam no local. Douglas Marins sai de cena carregando a bicicleta do idoso. 

O delegado que investiga o caso, Mário José, disse que o guarda que agrediu o idoso informou que momentos antes o aposentado estava "importunando as pessoas" e alegou também que não o agrediu, somente fechou o punho para assustar, mas as imagens mostram o contrário.

Nilson das Neves contou ainda que a agressão aconteceu porque o idoso estava embriagado e mexendo com as funcionárias no hospital. Manuel de Jesus não nega que tinha bebido, mas afirma que não estava incomodando ninguém.

Procurada, a prefeitura de Tanguá informou que tomou conhecimento do fato e que entende que a conduta do agente público é inadmissível. O guarda agressor foi punido administrativamente, mas não foi demitido.  A prefeitura também enviou um outro vídeo, de um segundo momento, mostrando que o guarda municipal Douglas de Carvalho Marins, que sai de cena logo depois que o Nilson agride o idoso, volta ao local com uma pessoa, que segundo a prefeitura é um enfermeiro, que presta socorro ao idoso. Ele está sendo investigado para saber se houve prevaricação, quando um funcionário público temj conhecimento de um crime e mesmo assim permite que ele aconteça.

Por Ana Lícia Soares, às 07/06/2017 - 15:37

NEWSLETTER
OU