TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Homem morre durante discussão com PM em posto de Niterói - Editoriais - Band News FM

Violência

Texto:
+
-

Homem morre durante discussão com PM em posto de Niterói

Segundo o policial, a vítima desembarcou do carro para agredi-lo e desrespeitou a ordem de parada. Foi quando o PM atirou alegando que queria conter a situação

Por Julia Kallembach, às 09:14 - 18/11/2020 | Atualizado às 16:47 - 18/11/2020

00:00 / 00:00

Imagens de uma câmera de segurança do posto flagraram o caso (Foto: Reprodução)

A família do motorista de aplicativo morto durante uma discussão com um policial militar à paisana em um posto de combustíveis, em Pendotiba, Niterói, afirma que o PM atirou para matar. Diego Soares Sampaio foi baleado quando tentou agredir o militar, nesta terça-feira (17).

A família da vítima afirma que o policial estava atrapalhando a movimentação de veículos no posto. Ele discutia com um frentista quando a esposa de Diego, Helen Cristina, foi reclamar com o PM. O militar, identificado como Giovani Peçanha de Athaíde, teria xingado a mulher momentos antes de Diego partir para cima dele. O terceiro sargento atirou duas vezes.

O irmão da vítima, Leandro Soares, questiona a ação do PM e diz que Diego não teve chances de defesa. Imagens de uma câmera de segurança do posto registraram o caso. Nelas, o policial pode ser visto aparentemente discutindo com alguém que não aparece no vídeo.

Diego está no veículo ao lado e começa a deixar o local poucos segundos depois. Com o carro ainda em movimento e poucos metros à frente, porém, a esposa dele desce pelo lado do carona e segue em direção ao sargento.

A vítima sai do veículo logo depois da mulher e corre em direção ao policial ao perceber que ele estava armado. O motorista de aplicativo tenta dar uma "voadora" no PM, que atira pelo menos duas vezes. A Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo investiga o caso. Giovani foi ouvido na 4ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar e foi liberado. A PM abriu um procedimento interno para apurar o caso.

Segundo a corporação, o policial à paisana se apresentou no local do crime afirmando que houve um desentendimento com Diego e que antes de atirar chegou a dar uma ordem de parada quando o motorista de aplicativo tentou agredi-lo. O militar alegou que disparou para conter a situação.

Ouça a reportagem completa clicando no player de áudio.

A família do motorista de aplicativo morto durante uma discussão com um policial militar à paisana em um posto de combustíveis, em Pendotiba, Niterói, afirma que o PM atirou para matar. Diego Soares Sampaio foi baleado quando tentou agredir o militar, nesta terça-feira (17). A família da vítima afirma que o policial estava atrapalhando a movimentação de veículos no posto. Ele discutia com um frentista quando a esposa de Diego, Helen Cristina, foi reclamar com o PM. O militar, identificado como Giovani Peçanha de Athaíde, teria xingado a mulher momentos antes de Diego partir para cima dele. O terceiro sargento atirou duas vezes. O irmão da vítima, Leandro Soares, questiona a ação do PM e diz que Diego não teve chances de defesa. Imagens de uma câmera de segurança do posto registraram o caso. Nelas, o policial pode ser visto aparentemente discutindo com alguém que não aparece no vídeo. Diego está no veículo ao lado e começa a deixar o local poucos segundos depois. Com o carro ainda em movimento e poucos metros à frente, porém, a esposa dele desce pelo lado do carona e segue em direção ao sargento. A vítima sai do veículo logo depois da mulher e corre em direção ao policial ao perceber que ele estava armado. O motorista de aplicativo tenta dar uma "voadora" no PM, que atira pelo menos duas vezes. A Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo investiga o caso. Giovani foi ouvido na 4ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar e foi liberado. A PM abriu um procedimento interno para apurar o caso. Segundo a corporação, o policial à paisana se apresentou no local do crime afirmando que houve um desentendimento com Diego e que antes de atirar chegou a dar uma ordem de parada quando o motorista de aplicativo tentou agredi-lo. O militar alegou que disparou para conter a situação. Ouça a reportagem completa clicando no player de áudio.
NEWSLETTER
OU