TRANSPORTE
NO RIO

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Ruim
Avião Bom
Ministro afirma que declarações de Eduardo Bolsonaro não vão afetar leilão da cessão onerosa - Editoriais - Band News FM

Economia

Texto:
+
-

Ministro afirma que declarações de Eduardo Bolsonaro não vão afetar leilão da cessão onerosa

Bento Albuquerque e Paulo Guedes participaram de evento no Rio de Janeiro

Por Daniella Dias, às 18:12 - 01/11/2019 | Atualizado às 18:12 - 01/11/2019

00:00 / 00:00

A expectativa do governo federal é que o certame forneça R$ 106 bilhões à União (Foto: Daniella Dias)

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que as declarações do deputado federal, Eduardo Bolsonaro, do PSL, sobre a volta do AI-5, não vão afetar o leilão de excedentes da cessão onerosa que acontece na próxima terça-feira (05). 

A afirmação foi reiterada pelo ministro da Economia, que foi questionado se a fala do parlamentar do PSL causaria problemas nos avanços dos próximos pacotes de reformas. As mudanças serão enviadas ao Congresso na próxima semana.

Paulo Guedes disse que o presidente Jair Bolsonaro tem compromisso com a democracia brasileira e criticou a atenção dada às declarações polêmicas.

As afirmações dos ministros foram dadas durante a assinatura - entre a Petrobrás e a União - do termo aditivo que garante o pagamento de R$ 34 bilhões de reais à estatal. O valor é referente à revisão do contrato de cessão onerosa - que é um regime de exploração e produção de petróleo e gás no Brasil. As normas, assinadas em 2010, permitiam que a Petrobras produzisse até 5 bilhões de barris de óleo referentes a áreas do pré-sal da Bacia de Santos. 

No entanto, durante a exploração, a estatal encontrou o triplo do volume permitido pela União. Este excedente, após anos de negociação, será leiloado. 

Após a assinatura do termo, o ministro da Economia Paulo Guedes comparou o certame a um suco de jabuticaba.

Entre as localidades que serão leiloadas estão Itapu e Búzios - maior em áreas marítimas do mundo. Ambos estão na mira de oferta da Petrobras e equivalem a cerca de 70% de todos os blocos ofertados. As regiões de Atapu e Sépia também farão parte do certame.

A expectativa do governo federal é que o certame forneça R$ 106 bilhões à União. O valor será dividido entre a União, a Petrobrás, Estados, estados produtores e municípios. 

Questionado se há a possibilidade de o Brasil entrar na Organização dos Países Exportadores de Petróleo, o ministro Paulo Guedes apresentou prós e contras. Na última semana, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que um país do Oriente Médio convidou o Brasil para integrar a OPEP, mas, que iria conversar com os ministros antes de dar uma resposta ao convite.

NEWSLETTER
OU