TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Nova edição do 'Passeio pela História' virtual mergulha nas curiosidades de parques e praças do Rio - Editoriais - Band News FM

Cidade

Texto:
+
-

Nova edição do 'Passeio pela História' virtual mergulha nas curiosidades de parques e praças do Rio

No Youtube da rádio você pode ver ou rever a transmissão com o professor Milton Teixeira

Por Gustavo Sleman , às 19:03 - 31/07/2020 | Atualizado às 20:43 - 31/07/2020

00:00 / 00:00

Este foi o quarto passeio feito de maneira virtual (Foto: Reprodução/Youtube)

É muito comum ouvir de quem frequenta parques e praças que esses locais podem contar a história de cidades, bairros e até sobre a vida de pessoas. Apesar das recentes medidas de flexibilização, ainda há limitações para visitá-los e, por causa disso, a nova edição do 'Passeio pela História', com o professor Milton Teixeira, é uma boa oportunidade de, não só matar a saudade, mas também de conhecer um pouco mais sobre a origem e as curiosidades desses espaços.

Realizado de forma virtual, o evento começou na Praça XV. O historiador contou detalhes de como o cartão postal no Centro do Rio surgiu e sobre a construção e uso imóveis da região, como o Paço Imperial e o Palácio Tiradentes.

“O Paço Imperial que foi reformado em 1985. No início do século XVII ali tinha o pelourinho, que era um poste de pedra onde era fixado as leis e decretos e os nomes de pessoas procuradas pela lei. Daí surgiu a expressão "ficar com o nome sujo na praça", afirma o professor.

Outros dois importantes espaços localizados no coração da cidade visitados durante o passeio online foram a Praça da República e o Passeio Público, que, segundo o historiador, foi a primeira praça ser arborizada no Rio.

“Ali era uma lagoa. Era a Lagoa do Boqueirão, uma lagoa horrorosa e fétida. O vice Luís de Vasconcelos achou que poderia transformar o espaço em um lindo espaço arborizado. Ele aterrou a lagoa com o morro que existia ao lado, o Morro das Mangueiras e criou um terraço com vista para o mar”, comenta Milton Teixeira.

Ainda na região Central, Milton detalhou a origem religiosa da Cinelândia. Com alguns cliques, os telespectadores foram para a Praça Saens Peña, na Tijuca, Zona Norte do Rio. O que há de comum entre eles? Segundo o professor, os cinemas.

“Acredite se quiser, mas em volta da Praça Saens Pena, chegaram a existir 12 cinemas. Isso dava grande movimentação à praça nos fins de semana. Toda a alegância desfilava ali. A Confeitaria Tijuca era a única que tinha ar condicionado e a elite ia para lá com casacos de pele luxuosos”, explica o historiador.

Marco na história do Brasil Imperial, a Quinta da Boa Vista também fez parte do passeio.

Ainda na Zona Norte, os ouvintes puderam conhecer a história do Parque Ambiental de Ramos ou Piscinão de Ramos para íntimos. No Parque Estadual da Pedra Branca, o professor destacou importantes pontos da Mata Atlântica que estão preservados no que ele considera o maior parque urbano do mundo.

Ouça a reportagem completa clicando no player de áudio.

NEWSLETTER
OU