TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Processo de impeachment: Wilson Witzel se articula para tentar impedir afastamento do cargo - Editoriais - Band News FM

Política

Texto:
+
-

Processo de impeachment: Wilson Witzel se articula para tentar impedir afastamento do cargo

O movimento mais recente foi o retorno de André Moura à Secretaria de Estado da Casa Civil e Governança

Por Gustavo Sleman, às 20:08 - 24/07/2020 | Atualizado às 20:10 - 24/07/2020

00:00 / 00:00

Witzel ainda tenta suspender o rito, sob a alegação de que houve irregularidades no processo (Foto: Divulgação/Governo do Estado)

Com apenas três sessões pela frente para se defender no processo de impeachment na Assembleia Legislativa, Wilson Witzel segue se articulando nos bastidores para tentar impedir o afastamento dele da função de governador.

O movimento mais recente foi o retorno de André Moura à Secretaria de Estado da Casa Civil e Governança. As tratativas para o retorno de Moura foram feitas pelo vice-governador Cláudio Castro, que vem atuando como interlocutor entre a Alerj e o Palácio Guanabara.

O ex-deputado assume o lugar deixado por Cleiton de Souza Rodrigues, que foi exonerado e que segundo informações deve deixar o governo.

Ainda de acordo com fontes ouvidas pela BandNews FM, Witzel já teria conseguido o apoio de dez dos 25 deputados que formam a comissão especial que analisa as denúncias contra o governador. A ideia é conseguir a ajuda de 13 parlamentares, o que configuraria maioria no pleito de um relatório contra o impeachment dentro do grupo.

Caso aprovado, o parecer contrário ao impedimento alteraria o rumo da votação em plenário. Quem votasse 'sim' estaria votando contra o impeachment.

Apesar de ainda tentar suspender o rito no Supremo Tribunal Federal, sob a alegação de que houve irregularidades nos trâmites do processo, Witzel, segundo fontes da BandNews FM, tenta se reaproximar da bancada bolsonarista. Uma das formas de conseguir isso é se alinhando às causas da ala.

Na quarta-feira (22), o governador atendeu a um pedido feito pelo coordenador da bancada do PSL do Rio no Congresso Nacional, Sargento Gurgel, e se comprometeu a abrir matrículas de policiais no Curso de Aperfeiçoamento de Sargento. No mesmo dia, publicou em Diário Oficial um decreto que tornou sem efeito uma medida de novembro de 2019 no qual determinava o retorno aos órgãos de origem dos agentes de segurança cedidos a deputados estaduais ligados ao presidente Jair Bolsonaro.

NEWSLETTER
OU