TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Rebanho bovino no Brasil volta a crescer após dois anos seguidos de quedas - Editoriais - Band News FM

Economia

Texto:
+
-

Rebanho bovino no Brasil volta a crescer após dois anos seguidos de quedas

Os dados são da Pesquisa da Pecuária Municipal, divulgada nesta quinta-feira (15) pelo IBGE

Por Andrezza Buzzani, às 17:06 - 15/10/2020 | Atualizado às 17:09 - 15/10/2020

00:00 / 00:00

O país chegou a 214,7 milhões de cabeças de gado no ano passado (Foto: Agência IBGE)

Depois de dois anos seguidos de queda, o rebanho bovino no Brasil voltou a crescer em 2019, registrando alta de 0,4%.

Os dados são da Pesquisa da Pecuária Municipal, divulgados nesta quinta-feira (15) pelo IBGE.

O país chegou a 214,7 milhões de cabeças de gado no ano passado.

A leve recuperação foi puxada pelo estado do Mato Grosso, que aumentou seu rebanho em 5,1%, e permanece sendo estado com mais cabeças de gado do Brasil.

Já o município com a maior quantidade de bovinos foi São Félix do Xingu, no Pará.

A supervisora da pesquisa, Mariana Oliveira, explica que o aumento teve influência de um recorde na exportação em 2019, principalmente, para a China.

O valor de produção dos principais produtos pecuários cresceu 9,0% em 2019, somando 59,3 bilhões de reais. Só a produção de leite concentrou 72,8% desse valor.

Com 34,8 bilhões de litros, a produção da bebida também foi a segunda maior desde 1974.

Por outro lado, o rebanho suíno teve queda 1,6%, com 40,6 milhões de cabeças.

Um novo recorde foi atingido, em 2019, pela produção nacional de ovos de galinha. O crescimento foi de 4,2% em relação a 2018, com 4,6 bilhões de dúzias. O estado de São Paulo foi o maior produtor nacional.

As regiões Sul e Sudeste lideraram a produção das aves.

Dados da pesquisa Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura mostraram que o valor da produção nacional obtida no cultivo de florestas, caiu 5% em 2019, na comparação com o ano anterior, atingindo R$ 15,5 bilhões de reais.

A queda foi influenciada, principalmente, pela redução de 11% no valor da produção da celulose. Os preços no mercado internacional recuaram em 2019 e a produção caiu 15,1%.

A participação da silvicultura representou 77,7% do valor de produção florestal, que atingiu R$ 20 bilhões. Já o extrativismo vegetal, em matas e florestas nativas, respondeu por 22,3%.

A área de floresta plantada do país soma 10 milhões de hectares.

Ouça a reportagem completa clicando no player de áudio.

NEWSLETTER
OU