TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Retomada do projeto das UPPs divide opiniões - Editoriais - Band News FM

Segurança

Texto:
+
-

Retomada do projeto das UPPs divide opiniões

Problemas antigos preocupam quem participou da elaboração e implementação do projeto nas comunidades.

Por Daniella Dias, às 18:57 - 21/07/2019 | Atualizado às 20:56 - 21/07/2019

00:00 / 00:00

O programa das UPPs começou em 2008 (Foto: Agência Brasil)

A intenção da Polícia Militar de retomar o projeto das Unidades de Polícia Pacificadora divide opiniões. Segundo artigo publicado no site da corporação e assinado pelo secretário da PM, coronel Rogério Figueiredo de Lacerda, os contêineres utilizados como base serão substituídos por construções de alvenaria. 

A ideia é que o efetivo e equipamentos, como viaturas, armentos e coletes balísticos, sejam recompostos e requalificados. De acordo com o secretário, o plano tem o apoio do governador Wilson Witzel. Apesar das melhorias anunciadas, problemas que culminaram no sucateamento das UPPs preocupam quem participou da elaboração e implementação do projeto nas comunidades.

O coronel da reserva da PM e ex-comandante das UPPs, Robson Rodrigues, cita os erros identificados ao longo dos anos e reforça que a relação entre a sociedade e os policiais terá que ser reconstruída.

O programa das UPPs começou em 2008. Durante a intervenção federal, no ano passado, 1 unidade foi extinta e outras 6 foram desativadas e substituídas por companhias destacadas, subordinadas aos batalhões das áreas onde funcionavam.  O ex-porta voz do gabinete de Intervenção, coronel do exército Roberto Itamar, explica porque as UPPs passaram por uma reestruturação.

O secretário Rogério Figueiredo afirma que a estratégia da Coordenadoria de Polícia Pacificadora mantém o viés de inclusão social. A retomada das UPPs envolveria duas etapas. A primeira teria acontecido no ano passado com o projeto de reestruturação iniciado pela Intervenção Federal. O segundo passo, que consiste na recuperação física das bases, já teria sido iniciado pela PM./ Procurada, a corporação não confirmou a informação.

NEWSLETTER
OU