TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Série Hereditário: pai muda de cidade para não perder mais um filho para a criminalidade - Editoriais - Band News FM

Especial

Texto:
+
-

Série Hereditário: pai muda de cidade para não perder mais um filho para a criminalidade

Proteger os jovens da violência no Rio não é uma tarefa fácil somente para Miqueias Mendonça

Por Marcelo Andrade, às 19:54 - 09/08/2019 | Atualizado às 20:06 - 09/08/2019

00:00 / 00:00

Há cinco meses, o pai trocou São Gonçalo por Araruama (Foto: Reprodução)

A lembrança da morte de um dos enteados não sai da cabeça do Miqueias. Vinícius Oliveira, de 14 anos, foi morto numa troca de tiros com policiais na comunidade Palha Seca, área conflagrada pelo tráfico de drogas em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Menos de seis meses depois, Ruan, irmão de Vinícius, tinha acabado de completar 14 anos. Também foi morto pela polícia. Estava envolvido com o tráfico.

Miqueias Mendonça cuidou dos dois adolescentes como se fossem filhos. Casou com Dona Divone quando os meninos ainda eram pequenos. Ele conta que quando percebeu que os menores estavam no caminho da violência, tentou afastá-los da criminalidade.

e9e78b56-405e-42d2-9b7d-82974698151e

Proteger os jovens da violência no Rio de Janeiro não é uma tarefa fácil somente para Seu Miqueias. O Atlas da Violência de 2019, publicado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o Ipea, mostra que 3.576 pessoas com idades entre 15 e 29 anos foram assassinadas no Rio de Janeiro em 2017.

Os dados do último levantamento aumentaram 5,6% em comparação ao ano de 2016. O saldo do país em 2017 foi de 35.783 homicídios nessa faixa etária.

Final-Comp-Still001

No olhar de um pai preocupado, Seu Miqueias diz que na comunidade as crianças e adolescentes estão expostos a todo tipo de perigo. Cidadãos de bem precisam conviver em silêncio com o que veem na porta de casa.

Seu Miquéias só estudou até a quinta série do ensino fundamental. Precisou trabalhar para ajudar no sustento de casa, mas nunca deixou de cobrar dos filhos a disciplina com os estudos. Ruan e Vinícius estudavam, mas deixaram de ir à escola quando se envolveram com o tráfico.

Para não ver mais um filho morrer sem poder fazer nada, Miqueias mudou o percurso na trajetória de Ícaro, de seis anos. Há cinco meses ele mora no silêncio e na tranquilidade de um sítio na área rural de Araruama, município da Região dos Lagos no Rio de Janeiro.

O pequeno Ícaro concordou com a decisão do pai e explica o porquê. Ele também fala da saudade que sente dos irmãos que perdeu para a violência.

Ícaro estuda em uma instituição pública de ensino integral a alguns quilômetros do sítio onde mora com o pai. Seu Miquéias trabalha no lugar como caseiro. A mãe, dona Divone, permanece em São Gonçalo e reconhece a atitude tomada pelo ex-marido.

Ouça a reportagem completa clicando no player de áudio.

NEWSLETTER
OU