TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Técnicos independentes identificam colônias de bactérias em água da Zona Norte - Editoriais - Band News FM

Cidade

Texto:
+
-

Técnicos independentes identificam colônias de bactérias em água da Zona Norte

A substância foi encontrada em quantidade muito maior do que a referência indicada pelo Ministério da Saúde

Por Julia Kallembach, às 18:18 - 10/01/2020 | Atualizado às 18:21 - 10/01/2020

00:00 / 00:00

Os técnicos também avaliaram a turbidez da água e a presença de nitrogênio amoniacal (Foto: Agência Brasil)

Um teste realizado por técnicos independentes de um laboratório credenciado pelo Inmetro, na casa de um consumidor em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio, identificou, na água, colônias de bactérias em quantidade muito maior do que a referência indicada pelo Ministério da Saúde.

Os técnicos também avaliaram a turbidez da água, que estava acima da normalidade, e a presença de nitrogênio amoniacal, um poluente tóxico frequentemente encontrado em lixiviados de aterros sanitários e em produtos residuais, como esgoto, esterco líquido e outros produtos orgânicos líquidos.

O engenheiro sanitarista e ambiental da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) Gandhi Giordano, que participou do teste, afirmou que, pelos resultados encontrados, a água não pode ser ingerida.

O professor também alerta para os riscos a que estão expostos os consumidores. Ele ressalta, contudo, que a água encontrada revela apenas a condição em um ponto e que o resultado deve variar em outras regiões do Rio.

Nesta quinta-feira (9), a Cedae informou que vai adotar, em caráter permanente, a aplicação de carvão ativado pulverizado no tratamento de água para reter a substância que altera o gosto e cheiro do líquido.

Técnicos da concessionária detectaram na água distribuída a presença de geosmina, substância orgânica produzida por algas.

Ainda de acordo com a empresa, a substância não apresenta risco à saúde, mas a mudança deverá ser aplicada nos próximos dias, a exemplo do que já acontece em outros estados.

O Ministério Público do Rio de Janeiro informou que está acompanhando a questão da qualidade da água fornecida pelo Sistema Guandu, e que planeja realizar vistoria com os órgãos ambientais e da vigilância sanitária nos próximos dias.

Em 2018, o Ministério Público entrou com uma ação contra a Cedae e a companhia foi condenada a regularizar a qualidade no fornecimento da água.

Um taxista identificado apenas como Adriano mora na Vila da Penha, Zona Norte, conta que o problema também atinge a região, além do hospital onde sua esposa trabalha.

As 107 amostras de água analisadas pela Vigilância Sanitária, na quarta (8) e quinta-feira (9), têm laudo satisfatório, dentro dos parâmetros de potabilidade estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

No entanto, a pasta ressalta que as análises não incluem a possibilidade da existência de substâncias químicas e outros micro-organismos que podem gerar problemas de saúde.

Ouça a reportagem completa clicando no player de áudio.

NEWSLETTER
OU