TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Estados e municípios alteram vacinação de grávidas após orientação do Ministério da Saúde - Editoriais - Band News FM

Vacinação

Texto:
+
-

Estados e municípios alteram vacinação de grávidas após orientação do Ministério da Saúde

No Rio de Janeiro, a imunização foi retomada utilizando apenas doses da Pfizer e da CoronaVac

Por Gustavo Sleman, às 22:11 - 12/05/2021

00:00 / 00:00

A suspensão da AstraZeneca ocorreu após a morte de uma grávida, de 35 anos (Foto: Agência Estadual de Notícias do Paraná)

Após o Ministério da Saúde e a Anvisa recomendarem a suspensão do uso da vacina AstraZeneca em grávidas, as campanhas de vacinação em diferentes estados e municípios do país passam por mudanças. No Rio de Janeiro, a capital fluminense retomou nesta quarta-feira (12) a imunização de gestantes e mães de recém-nascidos com comorbidades, utilizando apenas doses da Pfizer e CoronaVac.

Em São Paulo, o governo estadual anunciou que a ação envolvendo este grupo vai ser retomada no dia 17, também com esses outros dois imunizantes. Já no Distrito Federal, a vacinação está suspensa. A iniciativa também foi tomada pela Secretaria de Saúde de Santa Catarina, por precaução.

A suspensão da AstraZeneca ocorreu após a morte de uma grávida, de 35 anos. O episódio ainda está sob investigação e não é possível afirmar que a morte foi ocasionada pela imunização.

O presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana, Paulo Gallo, afirma que é necessário ter cautela.

Em Goiás, pelo menos três cidades anunciaram a suspensão da aplicação da vacina AstraZeneca. Em Curitiba, o calendário não foi afetado porque, na capital paranaense, grávidas e puérperas são imunizadas com doses da Pfizer. O imunizante norte-americano também vai ser utilizado nas capitais Salvador e Manaus e o estado do Espírito Santo, onde a ação também vai englobar mulheres que vivem em municípios do interior do estado.

O governo de Roraima informou que só deve retornar a vacinação após novo posicionamento do Ministério da Saúde, apesar da permissão de poder utilizar Pfizer e CoronaVac.

Em João Pessoa, na Paraíba, gestantes e puérperas com comorbidades seguem sendo vacinadas. O uso do imunizante desenvolvido por Oxford em grávidas segue suspenso em estados como Rio Grande do Sul, Ceará e em capitais como Belo Horizonte.

Ouça a reportagem completa clicando no player de áudio.

NEWSLETTER
OU