TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
TRE decide por unanimidade tornar Crivella inelegível até 2026 - Editoriais - Band News FM

Justiça

Texto:
+
-

TRE decide por unanimidade tornar Crivella inelegível até 2026

A decisão foi tomada nesta quinta-feira (24), após voto do desembargador Vitor Marcelo Rodrigues, que havia pedido mais tempo para analisar o processo em sessão na última terça-feira (22)

Por Gustavo Sleman , às 15:39 - 24/09/2020 | Atualizado às 17:17 - 24/09/2020

Os sete desembargadores acompanharam o relator que votou pela condenação de Crivella (Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio)

A defesa de Marcelo Crivella deve apresentar nesta sexta-feira (25), um recurso no Tribunal Regional Eleitoral contra a decisão do órgão que tornou o prefeito do Rio inelegível. A medida foi tomada nesta quinta-feira (24), por 7 votos a 0, após voto do desembargador Vitor Marcelo Rodrigues, que havia pedido mais tempo para analisar o processo em sessão na última terça-feira (22).

Os advogados de Crivella pedem a anulação da votação. Eles alegam que como um dos magistrados, Gustavo Alves Pinto Teixeira, é advogado da Lamsa, concessionária que administrava a Linha Amarela, há conflito de interesses.

A gestão da via é alvo de uma batalha jurídica entre a empresa e a Prefeitura.

Os sete desembargadores acompanharam o relator Cláudio Dell'Orto, que votou pela condenação de Crivella por conduta vedada em evento em 2018 com funcionários da Comlurb na quadra de uma escola de samba.

O relator ainda votou pela multa máxima, de R$ 106 mil. O comício foi denunciado pela reportagem da BandNews FM. Na ocasião, Crivella apresentou o filho, Marcelo Hodge Crivella, como pré-candidato ao cargo de deputado.

A ação, movida pelo PSOL e pela Procuradoria Regional Eleitoral, também abordou o episódio conhecido como "Fala com a Márcia", quando, em reunião no Palácio da Cidade, Crivela prometeu vantagens no serviço público de saúde para religiosos evangélicos.

A maioria dos membros do TRE, neste caso, entendeu que o evento não tinha caráter eleitoreiro.

NEWSLETTER
OU