TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
TRT determina bloqueio de quase 20 milhões do Estado do Rio para o pagamento de funcionários da empresa OZZ Saúde - Editoriais - Band News FM

Saúde

Texto:
+
-

TRT determina bloqueio de quase 20 milhões do Estado do Rio para o pagamento de funcionários da empresa OZZ Saúde

Em relação à organização social IABAS, a pasta espera apenas os documentos necessários para quitar os valores devidos através da Justiça

Por Caroline Lacerda, às 22:47 - 20/10/2020 | Atualizado às 23:01 - 20/10/2020

00:00 / 00:00

As OSs precisam juntar aos autos as planilhas dos valores pendentes (Foto: Divulgação)

O Tribunal Regional do Trabalho determinou o bloqueio de quase 20 milhões de reais do Estado do Rio para o pagamento dos salários de agosto e setembro aos funcionários da empresa OZZ Saúde, além das parcelas das rescisões.

Durante uma reunião no TRT, a Secretaria Estadual de Saúde afirmou que não irá fazer os pagamentos através de mediações, mas por meio dos processos administrativos regulares.

Já em relação à organização social IABAS, a pasta espera apenas os documentos necessários para quitar os valores devidos através da Justiça. A OS afirma que irá reenviar a documentação dentro do prazo.

O secretário estadual de saúde Carlos Alberto Chaves explica que, para liberar o pagamento das verbas referentes às rescisões de contrato, é necessário que o IABAS entregue na Justiça do Trabalho o que foi solicitado.

A Procuradoria do Estado informou, na reunião de segunda-feira (19), que os valores devidos à OS Rio Lagos para pagamento dos salários de setembro dos funcionários do Hospital Carlos Chagas seriam depositados até esta terça (20).

Já as OSs precisam juntar aos autos as planilhas dos valores pendentes com especificação dos trabalhadores em 48 horas, sob pena de multa.

Flávia Lima Nascimento trabalhou no setor de rouparia de um dos hospitais de campanha do estado, e conta que a falta do salário está afetando até na compra de medicamentos.

Funcionários do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, que era gerido pela OZZ Saúde, marcaram para quarta-feira (21) um protesto em frente à Assembleia Legislativa para pedir as verbas rescisórias.

NEWSLETTER
OU